Megapost Watchmen: tudo + resenha do filme

Sempre coloque a foto de uma gostosa na abertura do post para dar audiência

Em primeiro lugar, um agradecimento: mesmo ficando dois meses sem atualizações, o blog continuou bem visitado, chegando à marca de mais de 6.000 acessos nesse período! Parece pouco, mas para mim significa muito! Valeu galera!!!

Como todo bom nerd que se preze, assisti a adaptação de Zack Snyder para a maior HQ de todos os tempos, e creio que é hora de liquidar a fatura e fazer uma resenha sobre o filme; mas não sem antes fazer deste post um megapost, com download de tudo que vocês tem direito!

Confira após o continue!

Watchmen - A Graphic Novel

Clique aqui para a versão em português ou aqui para o original em inglês.

Daqui para a frente, clique nas figuras para baixar:

Watchmen: The Complete Motion Comic

Legendas dos episódios 01 ao 06 aqui

“The Complete Motion Comic” é uma versão animada do próprio quadrinho, lançado este ano graças ao hype do filme. A trilha sonora em si é boa, mas a Warner e a DC fizeram um trabalho porco com a dublagem: apenas UM CARA faz todas as vozes do trabalho! Quando ele dubla homens, tudo bem (apesar de ficarem todos com vozes parecidas), mas o cara dublando mulheres é escroto! E ainda lançaram em Blu-Ray! Eu que não compro!

Os episódios estão disponibilizados via torrent, use o µTorrent para baixá-los. E nem todas as legendas foram lançadas ainda, conforme forem aparecendo eu atualizo o post.

Watchmen: Original Motion Picture Score

Trilha sonora genial, nem preciso falar muito! Segue a tracklist:

01. My Chemical Romance – Desolation Row
02. Nat King Cole – Unforgettable
03. Bob Dylan – The Times They Are A-Changin’
04. Simon & Garfunkel – The Sound Of Silence
05. Janis Joplin – Me & Bobby McGee
06. KC & The Sunshine Band – I’m Your Boogie Man
07. Billie Holiday – You’re My Thrill
08. Philip Glass – Pruit Igoe & Prophecies
09. Leonard Cohen – Hallelujah
10. Jimi Hendrix – All Along The Watchtower
11. Budapest Symphony Orchestra – Ride of the Valkyries
12. Nina Simone – Pirate Jenny

Watchmen: O Filme

Sobre o filme: quem não assistiu ainda, a partir deste ponto terão SPOILERS de montão!

SPOILERS ALERT

O filme é raso e não convence, ponto. Sem as citações de metalinguagem, muito da idéia original se perdeu. A impressão que se dá é de um “Watchmen for Dummies”: o filme explica tudo, o que não era necessário nos quadrinhos. Você lia e tirava suas conclusões. “Watchmen” é tão rico que toda vez que você lê, encontra coisas novas. Sobre o visual, o filme é lindíssimo, mas o diretor Zack Snyder abusou novamente do que fez com “300”: Sequência de slow-movimento acelerado-slow, que funcionou com os espartanos seminus mas ficou estranho aqui.

Outra coisa é que Snyder não trabalha com roteiro: ele copia a cena exatamente como está no quadrinho, num copy-paste descarado! O que deu certo com “300” (afinal, a história é simples) não funciona aqui, a impressão que se tem é que você está lendo o quadrinho na telona! Tanto que as melhores partes do filme são as adaptadas: a abertura (a melhor parte do filme, por sinal), ou a cena em que Rorschach vai até o consultório do psiquiatra atrás de sua “face”, a veste e diz: “Sua vez, doutor. Diga-me: O que está vendo?”

Algumas liberdades tomadas estranhas, ora para valorizar a ação, ora para suavizar em termos: vamos pegar dois momentos de Rorschach, por exemplo: quando ele cai do prédio inteirinho e sai na mão com os guardas até ser preso, ele parece até um ninja, cai, rola e sai batendo; no original ele se ferra todo quando o salto do sapato dele quebra na queda, pois ele usa plataforma (aceitável, já que ele é baixinho)! E seu passado quando ele ataca os garotos: no original ele fura o olho de um com um cigarro, pula em cima do outro como um animal e o morde no rosto; no filme o jovem Kovacs dá um soco no saco e uma marretada no primeiro (eu queria saber de onde essa marreta veio…), derruba o segundo, dá um soco na cara e dá a mordida, que aqui é mostrada na íntegra; aliás, o filme carregou na sanguinolência).

O ator do Ozymandias não engana ninguém: na primeira cena você já olha pra cara dele e sabe que ele é o vilão, e um dos mais canastrões possíveis! O original é um personagem carismático, que mesmo quando relata seu plano mestre, se vê que ele o realizou com pesar. O do filme não demonstra emoções, parece um manequim! Fora a maldita armadura com mamilos de borracha que eu não engoli desde a primeira imagem que vi desse cara. Aliás, Snyder diz com todas as letras que ele é gay (algo que Moore deixa nas entrelinhas, no primeiro volume): durante a abertura, ele está na porta do Studio 54, indo cumprimentar David Bowie e Mick Jagger (acho que todo mundo conhece a história por trás da música “Angie” dos Stones, certo?), fora o Village People que está por ali também:

Isso sem citar quando o Coruja está acessando o computador dele na Veidt Enterprises, há uma pasta chamada “Boys” (foto vinda lá do Kamen Rider):

Espectral e Coruja são muito fracos (a cena de sexo é risível de tão ridícula, parece aqueles softporns da Emanuelle) e em especial o Coruja: o original era um Zé Ruela de marca maior, (ele toma até bandejada na cara), o do filme é um porrador como o Batman que pula da nave ou desce planando (no original, ele descia pendurado numa corda). Na cena do incêndio, é fisicamente impossível a Espectral ter caído de pé após atravessar o teto (aliás, essa Espectral só ocupa espaço no filme, só serviu pra pagar peitinho)! Mas como eu disse, é preciso valorizar com mais ação…

Os melhores personagens caracterizados são o Dr. Manhattan, o Comediante e Rorschach (esse último ainda o melhor personagem, como na HQ). Ah, e o presidente Nixon, que está igualzinho ao original (o verdadeiro Nixon, não o dos quadrinhos).

Agora o final: a troca do monstro por um ataque simultâneo em várias partes do mundo arranjado para parecer que foi o Dr. Manhattan é até plausível, para parecer uma ameaça realmente global. Mas é estranho pois como a URSS se aliaria aos Estados Unidos se até dois dias antes, o azulão era uma arma ambulante americana? A idéia original de Alan Moore era de criar uma ameaça externa terrível o bastante para fazer as duas potências deixarem as animosidades de lado; com o novo final a lógica seria dos russos atacarem os States em retaliação e aí, Game Over pro mundo inteiro!

Mas uma referência ao final original está no filme: na cena em que Espectral e Coruja vão visitar Sally Jupiter, a TV está exibindo uma antiga série chamada “Outer Limits”. Essa série teve um episódio chamado “The Architects of Fear”, em que cientistas inventam uma invasão alienígena para fazer EUA e URSS se unirem e por fim à Guerra Fria! Quando Moore viu esse episódio, ele copiou a idéia (me perdoem os fãs, mas quem nunca copiou alguém na vida?) e adaptou, e o editor não queria aprovar o final; Moore bateu o pé e disse que não ia mudar nem uma vírgula; e ficou como sendo o final original.

No fim, a trilha sonora é fantástica, e melhora um pouco a experiência. Pra mim, um filme dispensável. Pronto, falei.

SPOILERS END

Watchmen: Contos do Cargueiro Negro

Legendas aqui

Contos do Cargueiro Negro é a história de piratas que o garoto lê na banca durante o desenrolar da trama dos quadrinhos, traçando um paralelo entre a ficção e a realidade dos quadrinhos, usando de metalinguagem. Como essa parte foi excluída do corte para cinema, ele foi lançado como uma animação à parte, e há a possibilidade de que ele entre no DVD e Blu-Ray na Director’s Cut. A voz do personagem principal é de Gerard “THIS IS SPARTA!” Butler.

Animação legal, com um clima bem pesado (mais até que a história original, afinal, Snyder adora violência). Um detalhe é que a vela que o náufrago usa para navegar possui uma mancha de sangue simétrica (Rorschach).

Watchmen: Sob o Capuz

Parte 01Parte 02Parte 03Parte 04

Senha para descompactar: http://farra.clickforuns.net

Legendas aqui

Créditos: F.A.R.R.A.

“Sob o Capuz” é um mini documentário fictício, contando as histórias relatadas na autobiografia de Hollis Mason, o primeiro Coruja. O interessante aqui é a participação de personagens que apareceram pouco no filme, como Lawrence Shexnyder (agente e marido da primeira Espectral), Bernard (o jornaleiro), Wally Weaver (o físico amigo de Dr. Manhattan), Moloch e outros. Outra coisa são os comerciais típicos da época, com destaque para o perfume Nostalgia, da Veidt Enterprises. É interessante, mas no geral, bem chatinho.

Bem, é isso. Espero não levar mais dois meses para atualizar o blog. See you next time!

1 Response to “Megapost Watchmen: tudo + resenha do filme”


  1. 1 Luiz janeiro 25, 2014 às 1:08 am

    Um dos melhores posts que já vi sobre Watchmen…. pena que o link para a graphic novel está off. De qualquer forma, parabéns.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Ficha Técnica

It's me!
Ronaldo de Souza Gogoni, AKA Cyber Ramses

30 anos, São Paulo - SP - Brasil

Tecnólogo, comerciário, FATECano, blogueiro, twitteiro e nerd to the bone!!!

Análise e Desenvolvimento de Sistemas - 4º semestre
Faculdade de Tecnologia de São Paulo - FATEC-SP

Quem já espiou:

  • 406,388 visitantes
Eu também estou no Twitter!

Sigam-me os bons!

Erro: Assegure-se de que a conta Twitter é pública.

Categorias

Arquivos

Calendário

abril 2009
D S T Q Q S S
« fev   maio »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

%d blogueiros gostam disto: